segunda-feira, 13 de março de 2017

A Maldição do Vencedor (Trilogia do Vencedor #1) - Marie Rutkoski


Título: A Maldição do Vencedor
Título Original: The Winner's Curse
Autora: Marie Rutkoski 
Trilogia: Trilogia do Vencedor
Editora: Plataforma21
Número de Páginas: 328
Ano: 2016
Avaliação:☆☆☆☆☆

Sinopse: "Kestrel quer ser dona do próprio destino. Alistar-se no Exército ou casar-se não fazem parte dos seus planos. Contrariando as vontades do pai - o poderoso general de Valória, reconhecido por liderar batalhas e conquistar outros povos -, a jovem insiste em sua rebeldia. Ironicamente, na busca pela própria liberdade, Kestrel acaba comprando um escravo em um leilão. O valor da compra chega a ser escandaloso, e mal sabe ela que esse ato impensado lhe custará muito mais do que moedas valorianas. O mistério em torno do escravo é hipnotizante. Os olhos de Arin escondem segredos profundos que, aos poucos, começam a emergir, mas há sempre algo que impede Kestrel de tocá-los. Dois povos inimigos, a guerra iminente e uma atração proibida... As origens que separam Kestrel de Arin são as mesmas que os obrigarão a lutarem juntos, mas por razões opostas. A Maldição do Vencedor é um verdadeiro triunfo lírico no universo das narrativas fantásticas. Com sua escrita poderosa, Marie Rutkoski constrói um épico de beleza indômita. Em um mundo dividido entre o desejo e a escolha, o dominador e o dominado, a razão e a emoção, de que lado você permanecerá?"



Definitivamente esse livro expressa bem o termo teia de aranha, vários fios utilizandos se mantendo firme custe o que custar. Para começar essa resenha de A Maldição do Vencedor, tenho que informá-los dois pontos: a) Estamos imersos o corpo e a alma em uma rede de mentiras e muita armação. b) Estamos conhecendo artistas na arte da manipulação, aliás, aqui tudo é necessário para se manter no comando.

Kestrel é uma mulher forte, determinada e uma boa jogadora, mas que deseja muito ser dona de seu próprio destino. Ela tem todo o luxo e o respeito cabível a filha do famoso general Valória, o homem que liderando o exército trouxe muitas glorias para o governo. Mas isso tudo não passa a ser nada, já que a moça terá que escolher entre se casar ou entrar para o exército. Sem dá a palavra final, da qual irá determina de uma vez por todas o seu futuro, Kestrel faz a compra de um escravo no leilão. Mas essa compra além de ter sido um valor escandaloso só por um simples escravo, se tornará a chave para muitas surpresas na vida da garota e também do governo. Arin, o escravo comprado possuí muitos segredos que poderia ser um perigo aos ouvidos dos Valorianos. Porém, sua aproximação com Kestrel começa a permanecer mais firme e amigável a medida que passa. Será que existe uma relação mais intima entre ambos, além da relação dominador e dominado? Uma paixão talvez?

Uma reviravolta de surpresas e emoções. Esta frase define muito o que a autora Marie Rutkoski pensou e escreveu. No decorrer da história somos tomados por momentos de tensão, surpresas e intrigas sem um ponto final. É como se tivéssemos em um jogo onde o poder, a liberdade, o sentimento de dominação é muito importante e deve ser alcançado não importando o meio de chegar. São tantas ações e contrações de cada personagem, além das reviravoltas entre cada povo nos deixando presos a cada página.

A escrita de Marie Rutkoski nos surpreende por sem tão objetiva e bem rica em detalhes. A mesma soube utilizar do contexto histórico presente em seu livro, como uma arma minuciosa na construção de seu ambiente e também refletindo muito bem em seus personagens. Tais personagens em A Maldição do Vencedor, aparecem com papeis detalhados e com personalidades características do momento. São eles responsáveis por deixar a história mais viva e presente para o leitor. 

Enfim, A Maldição do Vencedor é uma leitura rápido, fácil e agradável de se ler. Apresenta ingredientes perfeitos para uma carga grande de tensão a cada capítulo lido, levando ao leitor se render em muitos momentos e já desejar poder está com o próximo volume. Um bom começo para uma trilogia, carregando consigo valores característicos humanos, como a dominação, a ambição, valorização, cooperação, desejo e a coragem, já vistos em muitos momentos da história de nações e ainda persiste na atualidade. 

2 comentários:

  1. Oi Bruna!
    Esse livro parece ser muito interessante, queria ler! Só estou evitando começar novas séries, acho tão difícil terminá-las.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  2. Olá, sua resenha atiçou minha curiosidade, e alias ela tá muito bem escrita. O visu do seu blog é muito legal, virei seguidor.

    http://omalkavian.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir