segunda-feira, 13 de março de 2017

A Maldição do Vencedor (Trilogia do Vencedor #1) - Marie Rutkoski


Título: A Maldição do Vencedor
Título Original: The Winner's Curse
Autora: Marie Rutkoski 
Trilogia: Trilogia do Vencedor
Editora: Plataforma21
Número de Páginas: 328
Ano: 2016
Avaliação:☆☆☆☆☆

Sinopse: "Kestrel quer ser dona do próprio destino. Alistar-se no Exército ou casar-se não fazem parte dos seus planos. Contrariando as vontades do pai - o poderoso general de Valória, reconhecido por liderar batalhas e conquistar outros povos -, a jovem insiste em sua rebeldia. Ironicamente, na busca pela própria liberdade, Kestrel acaba comprando um escravo em um leilão. O valor da compra chega a ser escandaloso, e mal sabe ela que esse ato impensado lhe custará muito mais do que moedas valorianas. O mistério em torno do escravo é hipnotizante. Os olhos de Arin escondem segredos profundos que, aos poucos, começam a emergir, mas há sempre algo que impede Kestrel de tocá-los. Dois povos inimigos, a guerra iminente e uma atração proibida... As origens que separam Kestrel de Arin são as mesmas que os obrigarão a lutarem juntos, mas por razões opostas. A Maldição do Vencedor é um verdadeiro triunfo lírico no universo das narrativas fantásticas. Com sua escrita poderosa, Marie Rutkoski constrói um épico de beleza indômita. Em um mundo dividido entre o desejo e a escolha, o dominador e o dominado, a razão e a emoção, de que lado você permanecerá?"



Definitivamente esse livro expressa bem o termo teia de aranha, vários fios utilizandos se mantendo firme custe o que custar. Para começar essa resenha de A Maldição do Vencedor, tenho que informá-los dois pontos: a) Estamos imersos o corpo e a alma em uma rede de mentiras e muita armação. b) Estamos conhecendo artistas na arte da manipulação, aliás, aqui tudo é necessário para se manter no comando.

Kestrel é uma mulher forte, determinada e uma boa jogadora, mas que deseja muito ser dona de seu próprio destino. Ela tem todo o luxo e o respeito cabível a filha do famoso general Valória, o homem que liderando o exército trouxe muitas glorias para o governo. Mas isso tudo não passa a ser nada, já que a moça terá que escolher entre se casar ou entrar para o exército. Sem dá a palavra final, da qual irá determina de uma vez por todas o seu futuro, Kestrel faz a compra de um escravo no leilão. Mas essa compra além de ter sido um valor escandaloso só por um simples escravo, se tornará a chave para muitas surpresas na vida da garota e também do governo. Arin, o escravo comprado possuí muitos segredos que poderia ser um perigo aos ouvidos dos Valorianos. Porém, sua aproximação com Kestrel começa a permanecer mais firme e amigável a medida que passa. Será que existe uma relação mais intima entre ambos, além da relação dominador e dominado? Uma paixão talvez?

Uma reviravolta de surpresas e emoções. Esta frase define muito o que a autora Marie Rutkoski pensou e escreveu. No decorrer da história somos tomados por momentos de tensão, surpresas e intrigas sem um ponto final. É como se tivéssemos em um jogo onde o poder, a liberdade, o sentimento de dominação é muito importante e deve ser alcançado não importando o meio de chegar. São tantas ações e contrações de cada personagem, além das reviravoltas entre cada povo nos deixando presos a cada página.

A escrita de Marie Rutkoski nos surpreende por sem tão objetiva e bem rica em detalhes. A mesma soube utilizar do contexto histórico presente em seu livro, como uma arma minuciosa na construção de seu ambiente e também refletindo muito bem em seus personagens. Tais personagens em A Maldição do Vencedor, aparecem com papeis detalhados e com personalidades características do momento. São eles responsáveis por deixar a história mais viva e presente para o leitor. 

Enfim, A Maldição do Vencedor é uma leitura rápido, fácil e agradável de se ler. Apresenta ingredientes perfeitos para uma carga grande de tensão a cada capítulo lido, levando ao leitor se render em muitos momentos e já desejar poder está com o próximo volume. Um bom começo para uma trilogia, carregando consigo valores característicos humanos, como a dominação, a ambição, valorização, cooperação, desejo e a coragem, já vistos em muitos momentos da história de nações e ainda persiste na atualidade. 

sexta-feira, 10 de março de 2017

Encruzilhada (Encruzilhada #1) - Kasie West



Título: Encruzilhada
Título Original: Pivot Point
Trilogia: Encruzilhada
Autora: Kasie West 
Editora: Seguinte
Número de Páginas: 304
Ano: 2015
Avaliação:☆☆☆☆

Sinopse: "A vida de Addison Coleman é um grande “e se…?”, graças à sua habilidade especial: Investigar Destinos. Addie é capaz de prever duas possibilidades de seu futuro toda vez que precisa tomar uma decisão. Quando os pais dela anunciam o divórcio, a garota deve escolher se vai morar com o pai entre os Normais ou se prefere ficar com a mãe no Complexo Paranormal. Para ter certeza do que a espera, Addie resolve Investigar. Em uma alternativa, ela conhece Trevor, um Normal sensível com quem logo sente uma conexão. Na outra, se envolve com Duke, o garoto mais popular da escola Paranormal. E agora, em qual futur"


Conheci Encruzilhada da autora Kasie West através do skoob. Na época muitas pessoas estavam falando sobre o livro e a maioria dos comentários eram sempre positivos. Quando li a sinopse, fiquei imaginado muitas coisas a respeito da história: a) o causa do questionamento "A vida de Addison Coleman é um grande "e se...?", aliás, qual seria a resposta da autora durante a leitura? b) Já adoraria está no lugar dela com essa habilidade de poder prever as possibilidades do futuro; c) Já li um livro da autora do qual  me surpreendi, então esse eu poderia me surpreender também, resenha do livro aqui.

Addison Coleman é uma garota comum para sua idade, ela mora com os seus pais mantendo um bom relacionamento com ambos, confidencia seus segredos a sua melhor amiga e ainda está sendo paquerada por um garoto, o jogador mais famoso de sua escola. Resumindo, a vida de Addison é uma total normalidade até ela morar em uma cidade onde as pessoas possuem habilidades especiais, chamados de Paranormais. Assim, devido a sua habilidade especial de Investigar os Destinos, Addison  se vê capaz de poder tomar as decisões sobre seu futuro de forma mais cautelosa e segura, aliás, ela mesma pode prever as possibilidades do futuro. de um dia para o outro os pais anunciam que estão se separando e que ela terá que escolher entre morar com sua mãe no Complexo, ou morar com seu pai entre os Normais. Addison tem mais uma escolha a fazer, imediatamente ela inicia a sua jornada na investigação de qual o melhor caminho. Será que a vida no Complexo ao lado de sua mãe e daqueles com que ela já está acostumada é a melhor opção do que poder conhecer a vida lá fora, com seus riscos entre os Normais ao lado de seu pai? Quais as surpresas que esses dois caminhos guarda? Boas ou ruins? 

Kasie West inicia Encruzilhada como uma caixa de surpresas sendo aberta e entregue em suas mãos sem o direto de devolução. Inicia com os primeiros capítulos onde o leitor já toma conhecimento sobre o problema que Addison terá que carregar durante o enredo, sendo um dos problema centrais. Após esse ponto, já tomamos a consciência que a escrita de West neste livro é explicativa onde as causas e as consequências dos acontecimentos vão ganhando forma ao longa da história. Além disso, um ponto que surpreende de forma positiva é a narrativa ser apresentada nas suas vidas possíveis que Addison irá escolher. Neste caso, é como se tivéssemos lendo duas histórias com rumos diferentes. 

Acompanhando a escrita da autora, os personagens do livro são pessoas centradas no que querem para seu futuro. Aqui, estamos conhecendo duas versões de cada um dos participantes mas com personalidades semelhantes, não interferindo em nada no curso da narrativa, só deixando-a mais interessante. Já que podemos conhecer mais profundamente os seus personagens e suas ações. 

Leitura rápida e contagiante, antes mesmo de começar o livro já queremos saber logo o desfecho e já poder saber mais no próximo volume. Com a fantasia representada no poderes paranormais, especialmente o da protagonista podemos jugar as verdadeiras vantagens e desvantagens de poder averiguar o futuro e qual a resposta disso. Somos capazes de mudar o futuro? Nossa vida seria mais feliz se já soubéssemos como o curso iria seguir? Aliás, em qual dos caminhos Addison será feliz? Valeu apena? Esses são questionamentos importantes a se fazer após a finalização da leitura de Encruzilhada, dos quais podemos levar para nossa realidade. 


Primeiro e Segundo volume da duologia.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Canaria Child - Tsuzuki Setsuri



Título: Canaria Child
Autor: Tsuzuki Setsuri
Desenho: Tsuzuki Setsuri
Editora: Shodensha
Gênero: fantasia, horror, romance, shoujo, drama
Ano: 2007
Páginas: 200
Observação: 

Sinopse: "Kayuu, um produtor de bonecas que foi assassinado há seis anos, criava bonecas vivas a pedido dos clientes. Mitsuki, sua filha que ainda está descobrindo o mistério do pai, junto com seu estudante favorito Yue, são confrontados com incontáveis suplícios. Qual o segredo escondido de Kayuu?"


                   


Canaria Child é o mangá composto por um único volume, escrito e desenhado por Tsuzuki Setsuri e publicado no Japão pela editora Shodensha. Após a leitura da sinopse e vistoriado os gêneros, fiquei encantada com o mistério por trás da trágica morte do pai de Mitsuki. Além disso, a arte da capa me chamou muito a atenção pela sua combinação de cores.

Mitsuki, filha do famoso fazedor de bonecas vivas encomendadas por seus clientes Kayuu, foi encontrada ainda viva ao lado do corpo de seu pai assassinado brutalmente em sua casa misteriosamente. Após o incidente, é descoberto que a garota com aparência de uma boneca frágil, assim como todas as coisas pertencentes ao fazedor de bonecas irá para posse de seu aprendiz, Yue. Yue é um homem desastrado que não consegue fazer uma única boneca capaz de ser comprada e assim, poder alimenta-los, resultando na veda das únicas bonecas restantes da coleção que Kayuu deixou para ambos. Mas, uma coisa Mitsuki não deixa passar, quais foram os motivos de seu pai ter perdido a vida? Quem foi o culpado?  Aliás, quais são os segredos escondidos de Kayuu?



Através de uma premissa trazendo um assassinato inexplicável e uma garota em volta ao mistério de seu passado, Tsuzuki Setsuri envolve o leitor a trilhar um caminho sem voltas em busca de desvendar tudo a respeito de Mitsuki. No decorrer de capítulos, Mitsuki começa a juntar algumas peças que vão aparecendo e cada vez mais ela começa sentir que está muito próximo de uma verdade devastadora e intrigante. 

Aqui temos personagens com personalidades bem construídas, conversando com o ambiente e o contexto da narrativa. A arte é simplesmente tão perculiar quanto o próprio proposito de todo o enredo, dando o efeito de pura peculiaridade a sua história. Durante todo o mangá, fiquei intrigada com o mistério de cada personagem e como o autor conseguiu fazer com que os seus segredos fossem sendo revelados aos poucos durante as páginas. Além disso, a personalidade de Mitsuki responde perfeitamente a sua condição de vida, em nenhum momento da história a garota se perdeu, foi forte e se manteve firme.

Nunca tinha visto falar sobre esse mangá, até encontra-ló por caso. É um mangá com uma leitura agradável, com um traço definido e bons personagens. Uma ótima leitura para qualquer momentos e para fãs de suspense com uma pincelada de romance e terror.  

sábado, 4 de março de 2017

A Rebelde do Deserto - Alwyn Hamilton



Título: A Rebelde do Deserto
Título Original: Rebel of the Sands
Autora: Alwyn Hamilton 
Editora: Seguinte
Número de Páginas: 288
Ano: 2016
Avaliação:☆☆☆☆☆


Sinopse: "O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher. Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele. Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por lhe revelar o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir."



Começo essa resenha com duas observações: a) A Rebelde do Deserto é uma verdadeira caixa de surpresas; b) Uma narrativa com personagens ousados e misteriosos. Não pude deixar de passar em branco essas suas observações que defini o tão espetacular e intenso esse livro é. Mas, o primeiro contato com o mesmo, ocorreu através de já ter visto em algumas redes sociais, e foi tamanha surpresa quando descobri o lançamento aqui, e ainda com o designer da capa maravilhoso, casando com com a sinopse.

No imerso deserto de Miraji uma pequena cidade chamada Vila da Poeira mora uma garota desbravadora como o deserto. Amani Al'Hiza poderia ser uma menina comum em uma cidade comum, mas com seus olhos cor de mar, ser uma talentosa atiradora, e a persistência em sair daquele lugar em busca de uma vida melhor a torna única. Apesar dessas características a destacarem, ela não consegue escapar da Vila e cada vez mais se encontra presa em um destino miserável, viver o resto da vida como uma mulher submissa em um casamento forçado e infeliz. Mas tudo começa a mudar, quando seu destino cruza com um forasteiro tentando sair da cidade que por infelicidade acabou caindo. Depois do conhecimento de ambos, alguns favores ficam em dívida em partes resultando na saída de Amani na garupa de um cavalo mítico, ao lado do forasteiro, e com o exército do sultão na cola. Mas qual será a verdadeira natureza e identidade do forasteiro? E a natureza de Amani? Aliás, quais os segredos serão revelados pelo deserto?

Quando comecei a pensar em ler A Rebelde do Deserto, já tinha conhecimento do gênero, sinopse, capa e também de muitos comentários e resenhas positivas sobre o mesmo. Apesar disso, não imaginava me surpreender a cada capítulo lido. O nível de surpresas apresentadas no livro, surge de forma gradativa nos fazendo já esperar o impossível se tornar possível em poucas páginas lidas. Um exemplo, foi o aparecimento das criaturas mágicas do deserto de Miraji e justo no inicio do livro temos uma pequena dose do que nos aguardará. 

A narrativa de Hamilton se destaca por se apresentar de forma direta, esclarecedora e  tímida. Temos um começo calmo apresentando o ambiente, personagens e o possível trama a ser desenvolvido. Todos esses passos, caracterizando um começo tímido mas direto, se revelando ao longo das páginas intenso e ousado. Seus personagens são cativantes, fortes, conquistadores, bajuladores, mentirosos e estrategistas. É de tirar o folego a quantidade de personalidade que ambos possui, e como eles se destacam na história ganhando forma assim como os bacuris no deserto. E por fim, a preciosa apresentação dos djinnis e suas habilidades,  deixando a história mas encantadora. 

A leitura é rápida, agradável, com personagens cativantes incluindo o casal protagonista que irá se revelar mais temido do que o próprio deserto, isso tudo já neste primeiro livro introdutório. A carga de aventura e fantasia não nos abandona logo no segundo capítulo, sempre como uma bateria em sua potência máxima. Apesar de tudo, a capacidade de poder vivenciar cada momento vivido pelos protagonista, e poder descobrir um pouco sobre costumes de outra cultura, são descritas em A Rebelde do Deserto. 

quarta-feira, 1 de março de 2017

Nunca Jamais - Colleen Hoover e Tarryn Fisher


Título: Nunca Jamais
Título Original: Never Never
Autoras: Colleen Hoover e Tarryn Fisher
Editora: Galera Record
Ano: 2016
Páginas: 192
Nota: 4/5


Sinopse: "Charlie Wynwood e Silas Nash são melhores amigos desde pequenos. Mas, agora, são completos estranhos. O primeiro beijo, a primeira briga, o momento em que se apaixonaram... Toda recordação desapareceu. E nenhum dos dois tem ideia do que aconteceu e em quem podem confiar.
Charlie e Silas precisam trabalhar juntos para descobrir a verdade sobre o que aconteceu com eles e o porquê. Mas, quanto mais eles aprendem sobre quem eram, mais questionam o motivo pelo qual se juntaram no passado."





Participando de alguns desafios literários, percebo que nunca tinha lido nada sobre a autora Colleen Hoover. Quando eu me deparo com a sinopse do novo lançamento da autora e de sua parceira Tarryn Fisher em Never Never, traduzido aqui no Brasil como Nunca Jamais pela editora Galera Record, fiquei muito intrigada com o acontecimento de seus personagens, despertando assim, a leitura.

Charlie e Silas não sabem de nada sobre seus passados. Tudo parece uma enorme massa branca e sem conteúdo. A relação entre ambos se tornou vazia e sem direção, a não ser pelas passagens deixadas por todos ao redor. Neste caso, a única solução a saciar a angustia é ir à busca da verdade, e é com esse pensamento que ambos irão correr o mais rápido possível justando cada pedaço de cacos que suas vidas estão. O que terá realmente acontecido com suas lembranças? 

Assim como proposto na sinopse da primeira parte, estamos compartilhando do mesmo mundo cego e com muitas perguntas do qual, os personagens estão inseridos. Sendo assim, as soluções encontradas pelas autoras foram à perspectiva da narrativa tanto assim pelo ponto de vista de Silas, assim como, pela de Charlie. O desenvolvimento das características próprias de cada personagem é construído aos poucos por percepção de convivência vindas principalmente do olhar e da descrição de cada um. 

A cada capítulo, peças são encontradas e adicionadas na memória de cada um. Todas elas são acompanhadas de mistério e desconhecimento do que resultará. A falta de noção dos acontecimentos do dia anterior e até de todo o percurso das vidas até o momento, é a parte mais embaraçosa corrida no livro, pois, todos os olhares e frases deixadas por parte dos familiares, amigos e conhecidos, nos deixa com muito mais ansiedade do que esperar na próxima página.

Leitura rápida e misteriosa, dando uma impressão que estamos dentro de um jogo de caça ao tesouro, que neste caso são as informações do passado. Personagens desenvolvidos de maneira peculiar, assim como, as cenas que os envolve. E o desfecho, surge como uma deixa para partir imediatamente para a parte dois, a fim de resolver por todos esses mistérios.