quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Querido John - Nicholas Sparks


Título: Querido John
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
Ano: 2010
Páginas: 288
Nota: 3/5

Sinopse: “Querido John”, dizia a carta que partiu um coração e transformou duas vidas para sempre. Quando John Tyree conhece Savannah Lynn Curtis, descobre estar pronto para recomeçar sua vida. Com um futuro sem grandes perspectivas, ele, um jovem rebelde, decide alistar-se no exército, após concluir o ensino médio. Durante sua licença, conhece a garota de seus sonhos, Savannah. A atração mútua cresce rapidamente e logo transforma-se em um tipo de amor que faz com que Savannah prometa esperá-lo concluir seus deveres militares. Porém ninguém previa o que estava para acontecer, os atentados de 11 de setembro mudariam suas vidas e do mundo todo. E assim como muitos homens e mulheres corajosos, John deveria escolher entre seu país e seu amor por Savannah. Agora, quando ele finalmente retorna para Carolina do Norte, ele descobre como o amor pode nos transformar de uma forma que jamais poderíamos imaginar.

Comecei a ler este livro já sabendo de pequenas partes da estória, mesmo com esse imenso spoiler continuei firme, pois eu queria saber os detalhes de tudo. Já nas primeiras partes o personagem John questiona a respeito do que é o amor, e assim que começa a narração.

O livro é constituído por três partes, na primeira, temos uma breve iniciação do que foi a infância, adolescência e a fase adulta de John, onde houve o surgimento de um amadurecimento em sua vida. Marcada por uma separação, até então presente entre John e o pai e a aparição de um amor. Nesta parte um, é bom o leitor prestar atenção em dois acontecimentos: a relação que o personagem tinha com o seu pai, e principalmente no contato com Savannah, mesmo que foi um período que ambos tiveram ser curto, na minha percepção foi onde ele teve o maior "crescimento", é engraçado que até o personagem mesmo confessa, e questiona a sua nova forma de ver o mundo, tudo isso graças a uma única pessoa Savannah.

Na segunda parte, o leitor poderá ficar embriagado juntamente com John, diante as cartas de Savannah, foi o momento que pode esclarecer sobre a sua própria pergunta deixada no inicio do livro. Tudo neste ponto parecia as mil maravilhas, tinham até promessas e tudo mais da parte de ambos. O que é muito curioso nesta história é a forma do pensamento que as personagens possuem e também de algumas reflexões da vida, trazida pelo livro. Fiquei muito intrigada e sem acreditar quando chegou o momento da carta decisiva.

Na terceira parte é quando a vida de Savahana e John seguiram caminhos diferentes, problemas começaram a surgir, um suposto desfecho, sem nenhum acontecimento surpresa. Percebi agora que eu poderia ficar horas aqui escrevendo, encurtando a conversa, a divisão feita na estória é semelhante a fases da vida, e neste caso é a do John. É um livro que faz quem o ler pensar a respeito de como simples ações podem se transformar em armas nas mãos de pessoas. Fiquei muito triste com o que ocorreu ao John, fui pegando um afeto por ele, e pelo seu pai, que mesmo sozinho conseguiu cria-lo, e fui não aceitando muito as escolhas que Savanhana foi escolhendo para seu futuro. Resumindo... Foram coisas pequenas, rotineiras e até comuns nos nossos dias é que faz desta história o que ela é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário