quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Azul é a Cor Mais Quente - Julie Maroh


Título:Azul é a Cor Mais Quente 
Autor: Julie Maroh
Editora: Martins Fontes
Ano: 2013
Páginas: 160
Nota: 5/5

Sinopse: "Clementine é uma jovem de 15 anos que descobre o amor ao conhecer Emma, uma garota de cabelos azuis. Através de textos do diário de Clementine, o leitor acompanha o primeiro encontro das duas e caminha entre as descobertas, tristezas e maravilhas que essa relação pode trazer. 
Em tempos de luta por direitos e de novas questões políticas, "Azul é a Cor Mais Quente" surge para mostrar o lado poético e universal do amor, sem apontar regras ou gêneros."

Uma estória delicada, marcada pelas descobertas, escolhas e no rompimento de preconceitos. Às vezes não é fácil tentar entender os nossos sentimentos, precisamos de alguém ou de algo que possa nos guiar. É com esse pensamento que acompanhamos juntos à trama desse romance, com o gráfico também delicado, por momentos tristes, apagados e frios, representados pela cor cinza, e por uma expressão de tonalidades da cor azul, da qual representa os momentos alegres, "quentes". O romance se desenrola mostrando a vida problemática e cheia de experiências de uma adolescente. O primeiro sentimento que desperta em Clémentine é a descoberta da sua sexualidade atrelada ao amor e a paixão, ao momento de conhecer Emma, uma garota de cabelos azuis.



O problema vai surgi quando Clémentine está tentando aceitar que ela nutre um amor por Emma, justamente quando os seus amigos descobre o seu envolvimento, e ela passa a sofrer preconceito, menos do seu amigo Valentine que é gay, e sempre a apoia, e irá ser um amigo muito importante no seu futuro. Assim é que a personagem e também o leitor, percebe que algumas pessoas no mundo não querem aceitar o fato de existir um amor "fora do padrão" da sociedade, mesmo nós estando no século XXI, e o enredo se passar no século XX, infelizmente o preconceito ainda está estampado nas mentes de varias pessoas de todos os países.Um fator importante são as passeatas pela luta por direitos, novas questões politicas, e a liberdade de expressão, que estão ocorrendo no momento na França, e pela reação de algumas pessoas, como exemplo, o ponto de vista dos pais de Clémentine, ambos não aceitam. 

O desfecho é bem triste, o engraçado é que desde as primeiras páginas o leitor pode já saber qual será o fim, o que aguarda a todos não é o fim, é um novo começo, como foi dito por Clémentine. Recomendo a todos, é claro que quando pegar essa maravilhosa HQ, leia tendo em mente todos esses questionamentos que a autora quis colocar, de forma lenta e minuciosa, é uma incrível experiência.

3 comentários:

  1. Ameeei! Pretendo comprar, estou super ansiosa. Bjoos!

    ResponderExcluir
  2. Ameeei! Pretendo comprar, estou super ansiosa. Bjoos!

    ResponderExcluir
  3. Espero que tenha uma ótima leitura! Obrigada pelo comentário!
    Bjs!

    ResponderExcluir